Livros em PDF | Coleção Os Economistas

Livros em PDF | Coleção Os Economistas

postado em: Philosophy | 0

Tempo de Leitura: 11 Minutos

A coleção reúne as principais obras da literatura econômica clássica e foi lançada pela Editora Abril em 1983 contendo 48 volumes originais (a quarta edição foi reduzida para 23 volumes). Este artigo contém 21 livros digitais da publicação original de 2006.

Adam Smith, v. I: A Riqueza das Nações
Autor: Adam Smith

Adam Smith, v. II: A Riqueza das Nações
Autor: Adam Smith

A obra apresenta: Da Divisão do Trabalho; Do Princípio que Ocasiona a Divisão do Trabalho; Que a Divisão do Trabalho é Limitada pela Extensão do Mercado; Da Origem e Uso do Dinheiro; Do Preço Real e Nominal das Mercadorias ou do Preço delas em Trabalho, e o Preço delas em Dinheiro; Das Partes Componentes do Preço de Mercadorias; Do Preço Natural e do Preço de Mercado Das Mercadorias; Dos Salários do Trabalho; Dos Lucros do Capital; Dos Salários e do Lucro nos Diversos Empregos de Mão-de-Obra e de Capital; Primeira Parte – Desigualdades decorrentes da natureza dos próprios empregos; Segunda Parte – Desigualdades Ocasionadas pela Política da Europa.

Hobson: A Evolução do Capitalismo Moderno
Autor: John A. Hobson

Assuntos abordados na obra: Teoria econômica; Origem do capitalismo moderno; Instrumentos do capitalismo; Estrutura da indústria antes da maquinaria; Comércio internacional; Ordem e desenvolvimento da indústria; Empresa moderna; Estrutura dos negócios e mercados; Combinações de capital; Cartéis e trustes; Poderes econômicos do truste. Financiador; A indústria no século XX; A Evolução do Capitalismo Moderno.

Jevons: A Teoria da Economia Política
Autor: William Stanley Jevons

Os principal trabalho de um dos mais importantes economistas, Jevons (a publicação de 1996 deixou de incluir Menger), que junto com Walras desenvolveram de forma independente e quase simultânea o princípio da utilidade marginal. Tema: Economia Política.

Kalecki: Teoria da Dinâmica Econômica
Autor: Michal Kalecki

A Teoria da Dinâmica Econômica é a principal obra de Michal Kalecki a respeito das economias capitalistas e constitui leitura indispensável para quem deseja aprofundar seus conhecimentos sobre essas economias. O livro não constitui um simples tratamento matemático de concepções econômicas estabelecidas. Ele compreende, na verdade, um conjunto de pesquisas originais acerca da dinâmica das economias capitalistas, aí empregando-se a Matemática como linguagem e a Estatística como instrumento de verificação empírica das conclusões teóricas.

Keynes: Teoria Geral do Emprego, do Juro e do Dinheiro/Inflação e Deflação
Autor: John Maynard Keynes

Apontada como a peça-chave da revolução keynesiana, esta obra rejeita a ideia do automatismo das forças de mercado na geração permanente do pleno emprego. Rejeita também a coletivização dos meios de produção e a estatização dos investimentos. Sumário: Definições e Ideias, A Propensão a Consumir, O Incentivo a Investir, Salários Nominais e Preços, Breve Notas Sugeridas pela Teoria Geral.

Thomas Robert Malthus: Princípios de Economia Política
Autor: Thomas Robert Malthus

Nesta obra, Malthus desenvolveu idéias extraordinariamente avançadas. Segundo Galvêas, Malthus antecipou em mais de cento e dez anos, algumas das idéias básicas publicadas por Keynes em sua Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda, de 1936.

Marshall, v. I: Tratado Introdutório
Autor: Alfred Marshall

Marshall pertence, legitimamente, à linhagem dos grandes mestres fundadores da Economia Política Clássica inglesa — Adam Smith, Ricardo, J. S. Mill —, corrente de pensamento das mais fecundas que,brotando da Revolução Industrial, expandiu-se no século XIX e espraiou-se até nossos dias por ramificações e canais doutrinários os mais diversos. Essa corrente teve três épocas distintas: a Clássica propriamente dita, a Ricardiana e a Marshalliana ou Ricardiana-Reformada. Os Princípios de Economia de Marshall constituem, juntamente com A Riqueza das Nações de Adam Smith e os Princípios de Ricardo, um dos grandes divisores de águas no desenvolvimento das ideias econômicas, representando a transição da antiga para a moderna economia.

Karl Marx: O Capital – Crítica da Economia Política – Vol. I
Autor: Karl Marx

Karl Marx: O Capital – Crítica da Economia Política – Vol. II
Autor: Karl Marx

O Capital trata-se, certamente, da obra mais importante do grande pensador, e cuja redação ele dedicou a maior parte de sua vida. É neste livro que, com plena maturidade intelectual, Marx aprofunda e sistematiza a brilhante análise crítica, já presente no Manifesto Comunista, das formas de sociabilidade que caracterizam o mundo moderno. O Capital não é simplesmente um livro de economia; graças ao emprego do método dialético, que privilegia o ponto de vista da totalidade, a obra tem como objeto a reconstrução das principais determinações da vida social global dos homens.

Myrdal: Aspectos Políticos da Teoria Econômica
Autor: Gunnar Myrdal

Gunnar Myrdal nasceu no século 19 e sua obra certamente se projetará no século 21. Viveu quase 90 invernos. Proeza superlativa, pois a maioria deles foi passada na Suécia, onde, quando se tem sorte, o verão cai num domingo. Apesar da origem nórdica, Myrdal voltou sua reflexão para países de latitudes bem menores, alguns próximos do equador. Em 1973, em conjunto com Friedrich von Hayek, recebeu o Prêmio Nobel de Economia

Pareto: Manual de Economia Política
Autor: Vilfredo Pareto

As contribuições de Pareto à Economia moderna são abundantes. O desenvolvimento da Microeconomia seguiu, em essência e método, os princípios por ele trabalhados na virada do século. Entre essas contribuições destacaram-se três: a gestação de uma teoria ordinal de bem-estar, que foi provavelmente a que se enraizou de forma mais ampla e profunda; o desenvolvimento da Teoria do Equilíbrio Geral de Walras, a qual desencadeou importante mudança de método na Economia Neoclássica; e a criação de um critério de avaliação do bem-estar social (Ótimo de Pareto), que inaugurou uma nova linha de pesquisa e levou seu nome a todos os livros de texto e estudos na matéria.

Ricardo: Princípios de Economia Política e Tributação
Autor: David Ricardo

Um dos maiores economistas de seu tempo, David Ricardo foi considerado ainda em vida o legítimo sucessor de Adam Smith no papel de difusor da jovem ciência conhecida como Economia Política. Sua obra abrange uma vasta amplitude de temas como, dentre outros, política monetária, teoria dos lucros, da renda fundiária e da distribuição, teoria do valor e do comércio internacional, tendo muitas de suas contribuições estabelecido as bases de um debate que se prolonga até os dias atuais.

Samuelson: Fundamentos da Análise Econômica
Autor: Paul A. Samuelson

Diferentemente de outros intelectuais, o trabalho de P. Samuelson se destaca pela sua abrangência e capacidade de reformular ideias apresentando novos teoremas, bem como encontrando novas aplicações para teoremas já existentes. Desafiando a posição (aparentemente consensual entre os acadêmicos) de que a produção intelectual ganha em qualidade na especialização, ele mostra ser de fato abençoado com uma capacidade analítica incomum.

Schumpeter: A Teoria do Desenvolvimento Econômico
Autor: Joseph A Schumperter

Deu importante contribuição à teoria do desenvolvimento capitalista, particularmente à teoria dos Ciclos Econômicos. Classificou estes em longos (de vários decênios), médios (de 10 anos) e curtos (de 40 meses). A Depressão Econômica resultaria da superposição desses três tipos de ciclo num ponto baixo, como ocorreu na Grande Depressão (1929 – 1933). O estímulo para o início de um novo ciclo viria das inovações tecnológicas introduzidas pelos empresários pioneiros.

Sraffa e Robinson: Produção de Mercadorias por Meio de Mercadorias/Ensaios Sobre a Teoria do Crescimento Econômico
Autores: Piero Sraffa e Joan Robinson

A revolução realizada por Keynes (1883-1946) na economia não se limitou à corrente marginalista. Com Kalecki (1899-1970), a ortodoxia marxista também foi atingida, embora seus efeitos se tenham feito sentir algo mais tarde. Mas não há dúvida de que o grande
debate que surgiu nos meios marxistas, a partir dos anos sessenta, sobre o caráter do Estado capitalista contemporâneo e da etapa atual do sistema, é prova de que o imobilismo foi mesmo abandonado.

A presença de Sraffa e Kalecki em Cambridge serviu para que o intercâmbio de idéias entre marginalistas e marxistas recomeçasse pelo menos no plano pessoal. Mas não há dúvida de que foi Joan Robinson, mais do que ninguém, que fez com que as últimas barreiras da incomunicação caíssem. Educada na ortodoxia marginalista, Joan Robinson começou por desafiar o pressuposto da livre concorrência. Em seguida, uniu-se a Keynes como um de seus mais destacados discípulos e ajudou a divulgar e interpretar o novo evangelho.

Stuart Mill, v. I: Princípios de Economia Política
Autores: John Stuart Mill

Stuart Mill, v. II: Princípios de Economia Política
Autores: John Stuart Mill

Desde a época de Mill houve uma vasta soma de literatura sobre Economia. Nasceu a escola histórica alemã, atingindo um alto grau de realização no tratado de Gustav Schmoller. Por outro lado, aparecem também outros corpos de teoria, tão abstratos quanto o de Ricardo, por eles rejeitados: e aqui destacam-se dos restantes os nomes de Jevons e Menger. Nesse meio tempo cresceu e declinou uma doutrina socialista igualmente abstrata, em grande parte criada por Marx. No entanto, os Princípios de Mill continuarão a ser lidos por muito tempo, e a merecer leitura. Eles representam uma fase interessante na história intelectual do século XIX.

Walras: Compêndio dos Elementos de Economia Política Pura
Autor: León Walras

A leitura de Walras é indispensável pela riqueza de seus insights, pelo tom moderno de suas preocupações metodológicas, e pelo respeito que transmitem suas reflexões sobre questões de princípios, sem esquecer que a seriedade dos tratamentos científicos não justifica que se percam de vista os objetivos finais de fornecer elementos úteis para a condução da política econômica.

Max Weber: Textos Selecionados
Autor: Max Weber

Dentro das coordenadas metodológicas que se opunham à assimilação das ciências sociais aos quadros teóricos das ciências naturais, Weber concebe o objeto da sociologia como, fundamentalmente, “a captação da relação de sentido” da ação humana. Em outras palavras,
conhecer um fenômeno social seria extrair o conteúdo simbólico da ação ou ações que o configuram.


Heilbroner: A História do Pensamento Econômico
Autor: Robert Heilbroner

Originalmente publicada sob o título de Os Filósofos Profanos, a obra é um resumo de vidas, épocas e ideias dos maiores pensadores econômicos. Aborda assuntos que vão desde a revolução econômica e o maravilhoso mundo de Adam Smith até as contradições de Schumpeter, passando por Malthus e Ricardo, Karl Marx, o mundo vitoriano e os subterrâneos da economia, a sociedade selvagem de Thorstein Veblen e as heresias de John Maynaer Keynes.

É uma obra que ensina ver a evolução da sociedade como um drama cujo significado pode ser compreendido, pois o objetivo final do pensamento econômico é a compreensão social.

Dicionário de Economia
Autor: Paulo Sandroni

Inicialmente publicado em 1983, a missão do Dicionário de Economia em sua primeira versão foi ajudar os leitores da coleção “Os Economistas” naqueles conceitos que poderiam apresentar alguma dificuldade de compreensão.

Nesta edição, de 1996, foram incorporados cerca de 1500 verbetes novos, relacionados com as mudanças na economia brasileira depois do Plano Real (mesmo com o risco de rápida obsolescência), com as conseqüências do processo de globalização, as crises do Sudeste Asiático, os ataques especulativos, as análises do risco e da incerteza, o nascimento do Euro, biografias de economistas nacionais e estrangeiros e, também, com a nossa formação histórica, econômica e financeira.

Deixe uma resposta